segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Viva o amor!

VIVER E AMAR

Resolvi parar, conversar, enfim, resolver o que quero pra mim.
Entendi que fundamental ao amor é renunciar,
lutar para que os pensamentos sejam convergentes,
embora sejam divergentes as formas de pensar,
o essencial é não ser indiferente, nem tampouco relutar e brigar,
discutir, enfim, trazer à tona fatos desconsideráveis
que deixam opacos momentos agradáveis,
aprendi que é preciso confiar em mim
e pensar mil vezes ao tentar magoar.

Aprender, aprender e aprender,
Isso é um breve resumo de nossa vida
Procurar o que o próximo tem pra nos dar
E o que nós termos para oferecer.
Mas o amor não fuga, nem tampouco ajuda,
cria um tormento, faz
os desesperados satisfazerem suas lascívias amorosas,
apenas apressa a ilusão e o arrependimento
de gravidez indesejada ou de um futuro aborrecimento.

Viver e amar é uma questão de ser ajudado e poder ajudar,
é poder olhar sob o foco do outro,
preservar o conselho de sobrepujar
qualquer que seja a idéia de fazer o amor cair em pranto,
por um impulso qualquer insano,
efêmero, frio, carnal e burro
fruto do viver esdrúxulo,
que não ama pra viver
vive para brincar de amar.

Viva o amor!
Viva a eterna e verdadeira paixão,
Faça tudo isso sem resquícios de rancor,
Enfim, transforme sua vida em um viver de adoração,
Independente que o outro te olhe com desconfiança,
Sempre demonstre gratidão -
mostre-o a capacidade de trazer-lhe esperança, bonança, consideração.

Pratiquemos os princípios simples da vida,
guiados pela ótica do criador,
siga o caminho da vida
sempre em frente, sem temor.
Não faça da vida uma aventura,
regada de arrependimento e desunião,
pois os frutos aqui colhidos
terão o sabor de tua semeadura,
recheada de sonhos, ternura e paixão.
André Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário